Tocar um instrumento musical I - Bateria

Bateria

Dia 3

Eu tive 3 experiências distintas ao aprender a tocar instrumentos musicais. A minha motivação nos três casos partiram da vontade de tocar as músicas que eu gostava de ouvir.

Bateria

Se a memória não me falha, a música que me despertou o gosto pela bateria foi Paradise City dos Guns n' Roses (precisa ouvir apenas 40s pra entender). A música inicia com um dedilhado de guitarra e a bateria bem forte no fundo marcando o passo da música. Desde então eu comecei a tentar imitar o que era feito na música (só a introdução porque o resto era muito mais complicado). Imitava com as mãos no ar mesmo. Tentando entender o que acontecia.

Alguns anos depois eu conheci o Metallica. Uma banda de metal pauleira que é, desde então, minha banda favorita.

Reconhecer a expressão metal pauleira entrega a idade. E, se por acaso ainda usar, certamente os cabelos brancos já são maioria na cabeça.

Assim que conheci o Metallica, comprei dois álbuns e comecei a ouvir. Nessa época eu já prestava atenção na bateria quando ouvia as músicas. Eu sempre tentava tocar as músicas com a minha "bateria de ar".

Um dia surgiu uma oportunidade de comprar uma bateria usada. Quando cheguei pra ver o set fiquei impressionado com o estado de conservação. Estava nova! E por um preço muito bom. Comprei e ai começou a minha vida de baterista.

Me fechava em um quarto e colocava a música para tocar junto. Colocava a música no máximo para tentar abafar um pouco a barulho da bateria e ficar menos incomodo para a vizinhança. Tentava não bater muito forte nos pratos, colocava uma almofada no bumbo (aquilo que batemos com o pé) e ia tentando acompanhar a música. Como não tinha banda, ia no pseudo-cover mesmo.

Ia assim, tocando sozinho... Até que um dia achei pessoas para formar uma banda cover do Metallica. Foram anos de muitos ensaios e meia dúzia de shows. Ninguém na banda tinha muito jeito para ser promoter, algo muito importante para conseguir os showzinhos.

Mesmo depois de já saber tocar as músicas que eu gostava (apanhava em algumas partes que exigia mais técnica), eu resolvi fazer algumas aulas para ver se aprimorava meu jeito de tocar. Devem ter sido umas 4 ou 5 aulas e não via muito sentido o dinheiro que estava gastando. Eu não praticava em casa, a banda já estava meio que no fim e comecei a achar que o que eu já sabia já dava pro gasto.

A banda acabou. Alguns anos depois vendi a bateria, que já estava só pegando poeira e ocupando espaço. Nunca mais toquei e hoje sou apenas alguém que tem uma noção de como toca bateria.

Talvez um dia eu volte com uma bateria elétrica, já que uma bateria acústica é algo que incomoda a todos em volta. Com uma bateria elétrica, além de ocupar menos espaço, ainda é possível usar fones de ouvido e deixar a barulheira apenas pra quem toca.

Uma coisa que ficou foi a noção de tempo de música. É a bateria que dita o ritmo da música, cadencia ou acelera. Toda música tem um tic-tac onde os instrumentos precisam tocar suas notas. Em uma banda, o baterista é esse tic-tac.

Essa noção de tempo me ajudaria nos próximos instrumentos que tentei aprender.

Até amanhã.



Written by Eduardo Elias in 100posts on sábado, 12 de agosto de 2017 às 10:03. Tags: 100posts, música, instrumento musical,

Comments

comments powered by Disqus