Muita comunicação atrapalha - Intercâmbio

Comunicação

Dia 14

Depois de falar como foi fazer o intercâmbio tendo pouca comunicação com o Brasil e como é estar o tempo inteiro conectado, vou tentar descrever a diferença que eu vi no aprendizado e na qualidade do intercâmbio nos dois casos.

Por ser a distância de casa um ponto negativo para os que fazem intercâmbio, poder se comunicar com facilidade com os que ficaram no Brasil parece uma grande vantagem. Ao mesmo tempo, quem vai para um intercâmbio, tem como um dos principais objetivos aprender uma nova língua.

A imersão torna mais fácil aprender uma nova língua, mas o constante contato com a língua materna atrapalha o aprendizado. Esse contato pode ser tanto com os que ficaram no Brasil, como com os Brasileiros que certamente você vai encontrar nos países mais comuns para fazer intercâmbio.

No meu primeiro intercâmbio, eu só ouvia português uma vez por semana e só lia e escrevia por volta de 1h por dia. Hoje eu ouço, leio e escrevo mais na minha língua materna do que em inglês.

Esse contato excessivo acaba minando a possibilidade que o intercâmbio te dá de de viver uma cultura diferente. Mas para isso é necessário o interesse para tentar se adaptar e participar dessa nova cultura. Quando o contato com a própria é pequeno ou inexistente, não tem muito o que fazer, ou você se mistura ou se isola.

Hoje em dia é diferente. As pessoas saem do Brasil, mas tentam ao máximo ficar lá. A possibilidade de se manter atualizado e de continuar as relações que deixaram no Brasil faz com que as pessoas ignorem as experiências que poderiam estar tendo em um lugar novo, com pessoas novas, para continuar no conforto das pessoas que já conhecem, tentando cada vez mais se manter ligado ao país de origem.

Querem viver no Brasil, fora do Brasil.

E quando não é a comunicação constante com quem está longe, é a convivência com os Brasileiros. É compreensível. Afinal, são pessoas que falam sua língua, que você entende as expressões, sabe como se comportar e estão também procurando alguém que lhes proporcione o mesmo. O detalhe é que o valor que se gasta pra fazer um intercâmbio é muito alto para continuar "vivendo" no Brasil.

Por isso é muito comum ver pessoas voltarem meses(as vezes, anos) depois de um intercâmbio, com um inglês bem "more or less".

Até amanhã.



Written by Eduardo Elias in 100posts on Wednesday, 23 de August de 2017 às 18:27. Tags: 100posts, Intercambio,

Comments

comments powered by Disqus