Alexa

Dia 81

Alexa é o nome do assistente da Amazon que recebe controle de voz para fazer as coisas. O do Google chama Google Home.

Se por acaso já viu algum comercial desses assistentes, já deve ter visto o quão "últi-inútil" eles são. É interessante controlar as coisas por comando de voz. Fazer certas perguntas e receber as respostas de conversões de unidades ou de receitas de algum prato.

Quem nunca se perguntou quanto é, em gramas, uma xícara de açúcar?

Ao invés de ficar falando das grandes vantagens (que concordo que têm), vou me focar nas partes não tão legais. São as partes que inclusive não me animaram até hoje ter um.

Limitações
Esses assistentes só fazem o que você diz para eles fazerem. Praticamente não existe sugestões ou correções de ações. Um organizador que com o tempo vai sabendo o que quero, quando quero e ir me sugerindo ou até já tomando as decisões. Mas isso só é possível para ir aprender se for guardando e analisando as minhas ações, horários, rotinas, localizações, etc. O que me leva ao segundo problema.
Privacidade
Para fazer a análise Amazon/Google precisam ter acesso ao todos os meus dados e então "ensinar" seus assistentes a agir de acordo com os padrões. Infelizmente não é algo que fico muito confortável.

O que eu queria mesmo é algo tipo do filme "Her" ou o "Jervis" do Tony Stark.

No final, ainda tem muita coisa pra evoluir. Hoje é só um ajudante pra quem tem preguiça de digitar ou está longe demais do celular pra por uma música pra tocar.

Até amanhã.



Written by Eduardo Elias in 100posts on Sunday, 29 de October de 2017 às 23:07. Tags: 100posts,

Comments

comments powered by Disqus