Para escolher tem que se conhecer

Escolher não é fácil. Muita gente acha que não pode escolher, que não tem escolha. Mas na verdade todos tem a liberdade de escolher o que quiser e toda escolha tem um preço.

Autoconhecimento

Eu estava lendo um livro que citava uma passagem de Alice no país das maravilhas. Ela não sabia qual caminho escolher. Perguntou ao gato, que respondeu:

  • Gato: "Aonde quer chegar?"
  • Alice: "Qualquer lugar!".
  • Gato: "Então não importa qual caminho vai pegar..."

O preço do que se escolhe, costuma estar ligado ao que realmente se quer. Paga-se um preço mais alto por fazer coisas que não queremos. Não importa qual escolha vai fazer, se não se sabe o que quer. E não tem como saber o que quer, se não se conhecer.

O autoconhecimento está diretamente ligado as "boas escolhas". Muitas pessoas que não sabem se vão ou se ficam, se terminam ou se continuam, se continuam ou mudam, tem o mesmo problema. Elas na verdade não sabem o que querem. E não sabem porque não se conhecem. Passaram muito tempo da vida achando que tudo acontece como nos filmes, onde o destino, já traçado, vai resolver as coisas.

Deixar a vida me levar nunca foi algo que me agradou muito. Gosto de saber para onde estou indo. Claro que não se pode controlar tudo (eu sei disso, mas ainda insisto em tentar controlar tudo), mas tem os momentos onde sou eu que estou no comando e a escolha é exclusivamente minha.

Está insatisfeito com o trabalho? Acha mesmo que o "destino" vai resolver isso? Vai por uma mega oportunidade na sua frente? Pode ser que aconteça, mas é perigoso tomar regras como exceção. Eu prefiro tomas as decisões e não que um tal de "destino" faça quando e como quiser.

Não tem como dar errado. Você está fazendo o que quer, sendo direcionado pelo seu gosto, por sua vontade. Como uma escolha pode dar errado?

Muitas coisas boas são deixadas para trás quando as escolhas são feitas: O comodismo de morar com os pais e ter tudo na mão; Aquele(a) namorado(a) que parecia ser a realização dos sonhos de criança ou dos projetos que já estavam feitos para um futuro de "felizes para sempre"; O tanto que se apega aos familiares "alheios" e que, com término, essas outras ligações acabam sendo difíceis de se manter; O emprego onde já se está acostumado com as regras. Se da bem com os colegas de trabalho, mas não é bem o que você quer pra sua vida. Não é o que você gosta de fazer. MUDE! Tá ruim? Tá incomodando?

"Mova esse traseiro gordo!" by Sucker!

Todas as coisas que nos vemos insatisfeitos, por mais duro, por mais chato, por mais trabalhoso e, principalmente, por mais fora da zona de conforto a mudança leve, será para algo melhor.

As vezes só uma conversa resolve. As vezes temos que mudar de ares, as vezes de cidade... é você quem tem que saber o precisa ser feito. E muitas vezes sabemos, mas preferimos fingir que não. Enquanto a insatisfação ainda estiver num nível ruim, é possível que alguma mudança ainda seja necessária.

Ok. Entendi isso, mas eu não me conheço ou, pior, nem sei se me conheço. E se eu estiver fazendo a escolha errada?

Só escolhendo pra saber. O aprendizado é através de acerto e erro. Bom senso é sempre importante nessas horas. O que não pode é deixar que esse medo de não estar fazendo a escolha "certa" te faça não escolher. Além de deixar que o "destino" escolha pra você, você ainda perde uma boa oportunidade de se conhecer e então fazer uma próxima boa escolha.

Pra finalizar, eu sei que muitas pessoas preferem viver as escolhas dos outros. Se anulam e vivem em função do outro, do namorado, do marido, dos pais... elas pagam um preço por isso, mas é uma escolha delas. Se de alguma forma isso as faz feliz. Bom pra elas.

No final, o importante é ser feliz!


Posts relacionados a esse:


Written by Eduardo Elias in Pensando on segunda, 11 de julho de 2011 às 12:46. Tags: Escolhas,

Comments

comments powered by Disqus