Sair do Brasil ficando no Brasil - Austrália

Brasil Australia

Dia 7

Morar fora do Brasil sem se desligar do que se passa no Brasil, está cada vez mais fácil e cômodo. Esse fora está cada vez mais ligado a parte física do que a parte de convivência em si.

Com os smartphones e internet, é possível se manter atualizado sobre tudo que se passa no Brasil. É possível acompanhar praticamente todas as notícias. Desde o que se passa na nossa gloriosa Brasília (como não se orgulhar?), até as dores no joanete da Tia Cotinha.

Vou narrar aqui a minha experiência de como era essa vida 10 anos atrás.

2007 - Austrália - Sem smartphone - acesso limitado a internet

Morei na Austrália por 6 meses. Pode parecer pouco tempo para alguns, muito tempo para outros, mas foi tempo suficiente para me deixar meio atordoado quando voltei para o Brasil.

A minha comunicação com o Brasil era feita apenas por telefone, uma vez por semana, para dar sinal de vida.

Quando acessava a internet era apenas pra ver as notícias principais (em geral de futebol). O meu acesso, quase diário, não durava nem uma hora e era só durante a semana.

Eu sei que em 2007, ter internet em casa não era incomum, mas onde eu morava era. Então a internet era só mesmo quando eu estava na escola.

6 meses depois, voltei ao Brasil e me senti um alienígena nas notícias em geral. A idade, que os cabelos brancos comprovam, já não me deixa lembrar de todas as notícias que eu ouvia sem saber do que se tratava. Mas uma me marcou: O filme Tropa de Elite.

Quem estava no Brasil na época que o filme foi lançado, deve se lembrar como foi. Eu sei, pelo que ouvi falar, que tudo fazia referência ao filme. Frases e alusões ao filme eram feitas o tempo todo, em tudo que se passava na TV e nas conversas pessoais.

Quando voltei pro Brasil, essa euforia já tinha passado e eu nunca tinha ouvido falar do filme. Meu irmão me perguntou um dia se eu tinha visto e eu não fazia a menor ideia do que se tratava. Fui ver e, com 6 meses de atraso, bateu a euforia.

Como eu já disse, a euforia de todo mundo já tinha passado, mas vez ou outra alguém ainda fazia piadas ou alusões relacionadas ao filme. Eu ouvia e achava super engraçado. Mas, obviamente, só eu achava a graça, que só quem acabou de ver o filme, acharia. Para todo mundo já era uma piada velha, quase sem graça.

Fico imaginando como seria essa sensação para quem passava anos fora do Brasil 20, 30 anos atrás, quando até telefonar era algo bastante complicado e caro. A sensação é a de voltar para um lugar muito diferente. Demora um tempo para se encaixar novamente. E olha que para mim foram só 6 meses. É estranha essa sensação de se sentir quase como um visitante em sua própria casa.

Até amanhã.



Written by Eduardo Elias in 100posts on Wednesday, 16 de August de 2017 às 16:12. Tags: 100posts, Intercambio,

Comments

comments powered by Disqus